Sinopse

“Retrato de um dos mestres do cinema marginal, cuja importância é destacada por depoimentos de diretores e críticos como Carlos Reichenbach.” (MAP/16) “Documentário sobre a obra e o estilo de um dos cineastas mais inventivos do Brasil, Ozualdo Candeias, genuinamente um cineasta do povo. Divertidos e controversos depoimentos dos grandes: Zé do Caixão, Carlos Reichenbach, Jairo Ferreira, entre outros.” (CEARÁ/13)

Produção Executiva, Roteiro e Som Direto: Celso Gonçalves; Kátia Neves e Abel de Saint Falbo;
Direção de Produção: Abel de Saint Falbo;
Direção de Fotografia: Kátia Neves;
Edição de Som e Montagem: Marcus Vinicius Vilkas e Celso Gonçalves;
Música: Silviano Baia.

Participação: José Mojica Marins, Carlos Reichenbach, Jairo Ferreira, e outros.
Comentários: “O documentário brinca com os desencontros e as dificuldades de comunicação e captação de imagens, mesmo entre os cineastas, e apresenta uma narrativa montada a partir de trechos dos seus principais filmes e dos depoimentos dos companheiros de estrada.” – Celso Gonçalves. “Ele tem a sua mensagem à maneira dele, luta pelo cinema nacional do jeito dele… de uma maneira ou outra ele faz” – José Mojica Marins. “Uma apreensão muito delicada e ao mesmo tempo muito aguda da marginalidade e da pobreza” – Inácio Araújo. “Ozualdo Candeias é marginal, na vida e nas telas. Marginal entre os marginais.” – Jairo Ferreira. “Acho que Candeias está para o cinema assim como Plínio Marcos está para a Dramaturgia! – Carlos Reichenbach.
Participação em Mostras e Festivais: Mostra Competitiva, XXVI Festival Guarnicê de Cinema, São Luis, MA, 2003; Mostra: Curtas SP e Documentário Paulista, XVI Mostra do Audiovisual Paulista, SP, 2003; Mostra Panorama Brasil, XVI Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo, SP, 2003; Mostra Competitiva, VIII Festival Internacional de Documentários ‘É Tudo Verdade’, SP, 2003; Mostra Brasil XXVII Mostra BR de Cinema, SP, 2003; I Festival Tela em Transe, SP, 2003; Mostra Competitiva 16mm, III Curta Se – Festival de Curtas de Aracaju, SE, 2003; Mostra Competitiva – Curta-Metragem, XIII Cine-Ceará – Festival  Nacional de Cinema e Vídeo, Fortaleza, CE, 2003; Mostra ‘Ao Mestre Com Carinho’, IV Araribóia Cine, Niterói, RJ, 2005.
Prêmios: Prêmio Aruanda de Melhor Documentário, Melhor Pesquisa Cinematográfica, Menção Especial do Júri, Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, DF, 2002; Menção Honrosa do Júri, Menção Honrosa pela contribuição à memoria cinematográfica, VIII Festival Brasileiro de Cinema Universitário, Niterói , RJ, 2003.

Preto e Branco, 16mm