Sinopse

“Cineasta autoral, sem perspectivas de trabalho, tem a chance de realizar um projeto na TV, mas para isso terá de abrir mão de seus ideais estéticos.” (MinC/CMB) “Roberto é um cineasta que se deixa abater pela falta de perspectivas de trabalho. Sua inércia só é quebrada por um personagem diabólico que lhe aparece em sonhos exigindo ação.” (FRG/23) “BOM DIA, CINEMA, levanta a discussão sobre sonhos versus possibilidade, livre criação e pragmatismo, a rendição ou não do artista aos padrões exigidos pelo mercado, em função de alcançar uma comunicação mais efetiva e ampla com o público.” (FBR/28)